Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > TESTE TESTE > Síndrome Metabólica
Início do conteúdo da página

Síndrome Metabólica

Publicado: Quinta, 01 de Junho de 2017, 11h16 | Última atualização em Quinta, 01 de Junho de 2017, 12h01 | Acessos: 5236

A Síndrome Metabólica (SM) é um transtorno complexo representado por um conjunto de fatores de risco cardiovascular, usualmente relacionados à deposição central de gordura e à resistência à insulina.

imagem sem descrição.

A sua importância deve ser destacada do ponto de vista epidemiológico, por permitir a identificação de indivíduos com o risco aumentado de desenvolvimento de diabetes mellitus do tipo 2 e de doença cardiovascular aterosclerótica, levando os portadores desta condição patológica ao aumento do risco de mortalidade cardiovascular, estimado em 2,5 vezes.
Ao longo dos tempos foram estabelecidas algumas definições da Síndrome Metabólica. A primeira foi feita em 1998 pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Posteriormente,o National Cholesterol Education Programme Adult
Treatment Panel III(NCEP: ATP III), a American Association of Clinical Endocrinologists (AAEC), European Group For The Study Of Insulin Resistance(EGIR), Heart Association/National Heart, Lung, and Blood Institute (AHA-NHLBI),International Diabetes federation (IDF) e a Joint Interim Statement(JIS) também criaram suas definições.

A Síndrome Metabólica no Brasil e no Exército Brasileiro
A prevalência da Síndrome metabólica depende dos critérios adotados, porém estudos de revisão apontam uma variação de 8,6% a 56,9% em diferentes estratos da população brasileira.
O IPCFEx vem estudando, diagnosticando, tratando e acompanhando, por mais de 14 anos, a prevalência da Síndrome Metabólica em militares do Exército Brasileiro, especificamente em integrantes de missões de paz da ONU e alunos escolas de formação de oficiais e sargentos. Até o momento, verificou-se que a prevalência varia de 5,6 % a 25 % dentre os grupos de militares já avaliados.
Em um estudo realizado pelo IPCFEx em militares do EB, foi verificado que 30,9% daqueles com mais de 40 anos apresentaram alterações nos fatores de risco da síndrome metabólica, nomeadamente a hipertensão arterial e níveis séricos de HDL-C e Triglicerídeos.Outro estudo, também realizado pelo IPCFEx em população de 250 militares, com idade média de 42 anos, foi observou a prevalência da síndrome metabólica em 18,7%. Entre os militares obesos, a prevalência foi de 74,3%.
Para melhor esclarecimento um indivíduo pode ser considerado obeso com seu índice de Massa Corporal (IMC) é ≥ 30 kg/m2. A OMS define que o IMC serve para avaliar o peso do indivíduo em relação à sua altura e assim indicar se está dentro do peso ideal, acima ou abaixo do peso desejado.

Estar dentro do peso certo é importante porque estar acima ou abaixo peso influencia na saúde, aumentando o risco de doenças como desnutrição quando se está abaixo do peso, e AVC e infarto, quando se está acima do peso. Assim, é comum os médicos, enfermeiros e nutricionistas avaliarem o peso da pessoa nas consultas de rotina para verificar a possibilidade de doenças que a pessoa pode estar predisposta.
Para calcular seu IMC basta dividir seu peso pela altura ao quadrado. De posse do resultado basta análise na tabela abaixo sua classificação:

IMC Classificações
Menor que 18,5 Abaixo do peso normal
18,5 – 24,9 Peso normal
25,0 – 29,9 Excesso de peso
30,0 – 34,9 Obesidade classe I
35,0 – 39,9 Obesidade classe II
Maior ou igual a 40,0 Obesidade classe III


Como saber se eu tenho Síndrome Metabólica?
Atualmente, o IPCFEx utiliza para diagnosticar os militares com Síndrome Metabólica o último consenso 2009 Joint Interim Statement (JIS). Os grupos que participaram dessa última definição foram International Diabetes Federation (IDF), TaskForce on Epidemiology and Prevention (TFEP),National Heart, Lung, and Blood Institute (NHLBI), American Heart Association(AHA), World Heart Federation (WHF),International Atherosclerosis Society (IAS) e International Association for the Study of Obesity (IASB).
Segundo o JIS 2009, a Síndrome Metabólica ocorre quando estão presentes três dos cinco critérios abaixo:

Obesidade central – circunferência da cintura superior a 80 cm na mulher e 90 cm no homem;
Hipertensão Arterial – pressão arterial sistólica 130mmHg e/ou pressão arterial diastólica 85 mmHg ou se usa medicamento para controle de hipertensão;
Glicemia ≥ 100mg/dl ou se usa medicamento para controle;
Triglicerídeos ≥ 150 mg/dlou se usa medicamento para controle;
HDL colesterol < 40 mg/dl em homens e <50 mg/dl em mulheres.
Eu tenho Síndrome Metabólica! E agora o que fazer?
Procure a Seção de Saúde da sua OM para que uma avaliação e orientação mais precisa seja realizada por um profissional. O endocrinologista é o médico especialista no tratamento dos distúrbios das glândulas endócrinas, que por sua vez são responsáveis pela secreção de vários tipos de hormônios que atuam para a regulação do metabolismo em todo o organismo. Esse profissional pode fazer o correto diagnóstico, tratamento e acompanhamento mais adequado para você.
Cabe ressaltar que a perda de peso( com orientação de um Nutricionista) e a realização de exercícios físicos regulares são as melhores formas de prevenção, mas em alguns casos pode ser necessário o uso de medicamentos como “sensibilizadores da insulina”, que ajudam a baixar a glicose (açúcar) no sangue e os medicamentos para controle de hipertensão.

registrado em:
Fim do conteúdo da página